novembro 25, 2007

Ventanias

O vento fustigava-lhe a cara de uma forma quase cortante, tal era a sua violência. Sabia-lhe bem, no entanto. Toda esta turbulência como que lhe entrava dentro da cabeça e arejava-lhe as ideias, soltando-as ao ar revolto que o rodeava.
Ergueu-se da pedra onde se tinha sentado momentos antes e tentou caminhar contra o vento. Em vão, as rajadas empurraram-no no sentido contrário e quase cai no chão.
Os próprios pensamentos que, momentos antes tinham esvoaçado, voltaram a entra-lhe na cabeça tornando-a de novo pesada, deixando-o triste.
Deitou-se então no chão, de olhos fechados, à espera que a ventania passasse.
Quem sabe talvez, um dia, pudesse levantar voo nela...

1 Comentários:

Blogger Som do Silêncio disse...

Loira é a titia!!!
:p

Gosto de ler-te...sabes disso!

Bjs

10:52 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial